Generalidades

setembro 20, 2010

Antes eu não tinha gostado muito do nome do blog. Achei que se era para pensamento de minuto tínhamos que usar o twitter, mas agora tenho que dizer que já estou gostando e por algumas razões. A primeira delas é que não se pensa apenas 140 caracteres em um minuto, dá para bolar muita coisa em um minuto, então não temos (uma das muit)as limitações do twitter. Se o pensamento é de minuto ele pode ser precário, sem todas as explicações devidas. Aí vai fazer muito mais sentido dizer esqueçam o que escrevi, afinal não se gastou um tempão teorizando e estudando pra dizer o que a gente vai dizer… ou seja, posso ser confusa! Tinha uma outra razão e eu esqueci…

Esquecer as coisas é uma das minhas características, mas não é um esquecimento para sempre, costuma ser momentâneo, e em geral não contempla ações que muita gente pensa insignificantes, mas que têm um peso enorme para mim. Sou um tipo de melindrosa social, as coisas que vejo cotidianamente não costumam tornar-se parte do meu dia-a-dia, assim, simplesmente. Por isso, acho que cotidianamente somos submetidas a um nível sem igual de violências, agressões vindas de todos os lados: o cara que acha que tem o dever de paquerar qualquer pessoa do sexo feminino, pessoas de todas as idades carregando no lombo quilos e quilos de lixo para vender, o ônibus lotado e as pessoas com as suas mochilas e bolsas acertando todo mundo, quem acha que está sempre mais atrasado que o resto, e sai cortando no trânsito de pedestres ou de carros, e fura fila, e faz um escarcéu,  gente que não responde e-mail. Nos últimos dias tenho me doído com a história de que muitas pessoas gastam quatro horas para voltar do trabalho para casa… Como naturalizar o fato de que a pessoa perde mais de um sexto do seu dia dentro de um ônibus (porque tem o tempo de ida), depois de ter gasto outros dois sextos trabalhando?! Ainda acredito que uma jornada de trabalho de duas horas seria o ideal… mas duvido que o trabalho dignifique as pessoas, ele brutaliza e ponto…

Já que estamos em clima de eleição: Sou contra a lógica schopenhauniana de viver e ver a vida! Desafio(?) e duvido diariamente do carma! Por um mundo diferente, mais indignação é a solução! Ou não…E viva o eco!!!

Em Construção

setembro 14, 2010

Isso aqui é uma construção coletiva. Ou pelo menos pretende ser. Então como tudo que é democrático, tudo aqui é transitório e, porque não, demorado. Afinal, o consenso não é algo simples.

Feitas as devidas explicações, apresento-me. Escrevo de Brasília. Uma cidade há mais de 100 dias sem chuva. Sou uma pessoa mediana. À exceção da  altura. Tenho gostos óbvios: sorvete de creme e chocolate ao leite. Não gosto de excessos.

Outro dia desses tive que fazer uma biópsia – confesso que sou um pouco hipocondríaca -, o laudo dizia “processo inflamatório discreto”. Conclusão: até as minhas bactérias são tímidas.