Gente que bebe chá

janeiro 24, 2014

Detesto gente que bebe chá no trabalho. Sim, faz diferença. A lógica do serviço público é servir café aos seus integrantes. Café. Daí sempre tem aquelas pessoas que insistem: um chá, por favor.  Que ódio me dá.

Primeiro porque o chá tem essa coisa inglesa de superioridade. Enquanto todo mundo pede seu café em mímicas com o garçom – sim, duas gotinhas, só um pouquinho de açúcar – quase que pedindo desculpas pelo vício e tentando passar despercebido, a pessoa do chá gosta e fala em alto e bom som: você não poderia me trazer um chá? Ela, a pessoa que bebe chá, do cume da sua superioridade, explícita o seu desejo – sim, porque ela faz questão de mostrar a todos o seu hábito requintado – e o demanda à figura do garçom (esse resquício de aristocracia que ainda insiste em tempos modernos. Afinal, qual seria o problema de levantarmos as nossas bundas de nossas cadeiras e pegarmos o nosso próprio café na copa? Somos tão produtivos a ponto de não poder interromper nossas atividades? Conta outra). 

Daí em seguida vem a discussão filosófica. Qual o sabor? A pessoa que bebe chá lembra-se repentinamente que ela também deve escolher um sabor. “Hmm…hortelã? Erva cidreira? Capim santo ou camomila?” Olha no relógio, pensa no dia da semana e na aula de Yoga que faltou e, em seguida, dá a sua ordem de preferência. Pode ser hortelã e, se não tiver,erva cidreira. (Que diferença isso faz se todos são verdes, não?) Mas enfim, aguardam a reação do garçom para emendar logo depois: traz o que você tiver, sem problemas. E dá um sorrisinho amarelo. E, em seguida, ela – a pessoa que bebe chá – cruza o olhar pela repartição à procura de um olhar que esbarre com o seu para que, em tom de lamentação, confesse: “pai, perdoa-os porque eles não sabem o que fazem”. Sim, para elas – as pessoas que bebem chá -, além de ser um crime o chá ser deixado de escanteio assim, é um clássico sinal de subdesenvolvimento.  

Sem contar que ela – a pessoa que bebe chá – interrompe toda a dinâmica da reunião para que um desejo seu seja atendido. Isso não parece nenhum pouco egoísta pra você? Nós, a turma do cafezinho, parecemos ter um pouco mais de consciência coletiva nessas horas. 

 

 

Fico me perguntando se essas pessoas bebem chá em casa também. Acredito que não. 

Anúncios