Técnicas de memorização

março 18, 2013

       Era uma vez, em um reino bem distante, um príncipe muito rico e, contrariando as estatísticas, muito legal. Ele era filho único e, para se lembrar disso, e sempre ter uma atitude condizente com tal condição (afinal, não teria nenhum irmão ou irmã para compensar os seus erros), tinha o número 1 pendurado em seu pescoço. Mas, como uma vida só é muito chata, não se separava do seu cachorro: Total, já de avançada idade.

      Cansado de viver em seu reino somente, ele decide fazer uma viagem para conhecer o  UNIVERSO. Durante as suas viagens, conheceu dois planetas bem diferentes. O primeiro tinha como principal elemento químico algo parecido com o que nós conhecemos por aqui como cimento. E, como consequência, as pessoas que ali nasciam eram ranzinzas, muitas vezes, brutas. Por outro lado, o segundo planeta era uma espécie de prisão. Todos os “Exs” que se comportavam mal (agora não me pergunte o que se enquadrava nessa categoria) iam para lá. Como castigo, comemoravam seus aniversários eternamente. Era uma espécie de tortura, o príncipe imaginava. 

         Cansados de viver dessa forma, os Exs tentavam fugir e vir para o planeta Terra. E alguns conseguiam. Mas, por alguma diferença de atmosfera, ao chegarem em nosso planeta, eles se espatifavam no chão. Mas eles não se afetavam. Entretanto, por conta da queda, nunca conseguiram se vincular da forma como gostariam a nós, seres humanos. 

         Eles carregavam uma espécie de mácula. Era invisível, mas todos sabiam que ela estava ali. Vocês nunca se depararam com alguma pessoa na rua e tiveram essa sensação? De que aquelas pessoas tinham algo de …… não confiável? 

         Bom, temos que ter cuidado com esses tipos de sentimentos, afinal, discriminação não se resume a isso? Para alguns, chegar a essa conclusão é realmente um momento de luz, de clareza. Faço questão constatar isso publicamente. 

       Mas provavelmente você está se perguntando o que aconteceu com o príncipe. Bom, o príncipe, com as desigualdades que viu e com as injustiças que presenciou, decidiu abdicar de todo o seu o dinheiro e de seu trono e dar ao universo um pouco mais de leveza. Tornou-se equilibrista.